Cometa bobagens. Não pense demais porque o pensamento já mudou assim que se pensou. O que acontece normalmente, encaixado, sem arestas, não é lembrado. Ninguém lembra do que foi normal. Lembramos do porre, do fora, do desaforo, dos enganos, das cenas patéticas em que nos declaramos em público. Cometa bobagens. Dispute uma corrida com o silêncio. Não há anjo a salvar os ouvidos, não há semideus a cerrar a boca para que o seu futuro do passado não seja ressentimento. Demita o guarda-chuva, desafie a timidez, converse mais do que o permitido, coma melancia e vá tomar banho de rio. Mexa as chaves no bolso para despertar uma porta. Cometa bobagens. Não compre manual para criar os filhos, para prender o gozo, para despistar os fantasmas. Não existe manual que ensine a cometer bobagens. Não seja sério; a seriedade é duvidosa; seja alegre; a alegria é interrogativa. Quem ri não devolve o ar que respira. Não atravesse o corpo na faixa de segurança. Grite para o vizinho que você não suporta mais não ser incomodado. Use roupas com alguma lembrança. Use a memória das roupas mais do que as próprias roupas. Desista da agenda, dos papéis amarelos, de qualquer informação que não seja um bilhete de trem. Procure falar o que não vem à cabeça. Cantarolar uma música ainda sem letra. Deixe varrerem seus pés, case sem namorar, namore sem casar. Seja imprudente porque, quando se anda em linha reta, não há histórias para contar. Leve uma árvore para passear. Chore nos filmes babacas, durma nos filmes sérios. Não espere as segundas intenções para chegar às primeiras. Não diga “eu sei, eu sei”, quando nem ouviu direito. Almoce sozinho para sentir saudades do que não foi servido em sua vida. Ligue sem motivo para o amigo, leia o livro sem procurar coerência, ame sem pedir contrato, esqueça de ser o que os outros esperam para ser os outros em você. Transforme o sapato em um barco, ponha-o na água com a sua foto dentro. Não arrume a casa na segunda-feira. Não sofra com o fim do domingo. Alterne a respiração com um beijo. Volte tarde. Dispense o casaco para se gripar. Solte palavrão para valorizar depois cada palavra de afeto. Complique o que é muito simples. Conte uma piada sem rir antes. Não chore para chantagear. Cometa bobagens. Ninguém lembra do que foi normal. Que as suas lembranças não sejam o que ficou por dizer. É preferível a coragem da mentira à covardia da verdade.
— Fabrício Carpinejar. 
Plante seu jardim e decore sua alma, em vez de esperar que alguém lhe traga flores.
William Shakespeare.
Toda vez que toca o telefone eu penso que é você, toda noite de insônia eu penso em te escrever; pra dizer que o teu silêncio me agride e não me agrada ser um calendário do ano passado; pra dizer que teu crime me cansa e não compensa entrar na dança depois que a música parou.
Engenheiros do Hawaii.
Nunca nos é permitido, sabe? É por isso que todos nós gostamos de ver os loucos, em filmes ou algo assim. Nós os admiramos, porque eles fazem exatamente o que querem fazer.
Charles Bukowski.  
Claro que você pode gostar de mim, pode gostar muito se quiser. Eu só não recomendo.
Soulstripper.
Resista um pouquinho mais, mesmo que a sua vida esteja sendo pesada como a consciência dos insensatos e você se sinta indefeso como um pássaro de asas quebradas. Resista porque o último instante da madrugada é sempre aquele que puxa a manhã pelo braço e essa manhã, bonita, ensolarada, sem algemas, nascerá para você em breve, desde que você resista. Resista, porque eu estou sentada na arquibancada do tempo torcendo ansiosa para que você resista e ganhe de Deus o troféu que merece: a felicidade.
Ana Jácomo.
Quem vive de “se” geralmente acaba não fazendo nada.
Kev P. 
Não se pode esperar resultados diferentes fazendo as coisas da mesma forma.
Clarice Lispector.
Hoje acordei sem saber explicar como me sinto. Estranho, com uma certa nostalgia que me envolve. Uma saudade de algo que nem vivi e nem sei se viverei. Estou feliz, a minha vida está ótima, mas hoje algo me perturba. Senti vontade de ter uma família, de tomar café na mesa com mais alguém. De saber que sou importante para alguém e que esse alguém me ama. Senti saudades de algo que nem sei o que é. Os Meus desejos é de ficar só com alguém, estranho isso, ao mesmo tempo que quero ter alguém também quero estar completo só para mim. Sentimentos confusos, carência de abraço e afeto, se bem os conheço, logo se dissolveram com a correria do dia-a-dia e assim a vida continuará.
Nicholas Sparks. 

@locklly